O Curso de Medicina da FPS autorizado a funcionar através da Portaria do MEC nº 2.990 (DOU 01/09/2005) e reconhecido pela Portaria do MEC nº 24 (DOU 16/03/2012); tem duração de 6 anos em regime de horário integral; oferece 192 vagas por ano; e possui como processo seletivo vestibular, transferência, FIES, PROUNI e FormaSUS.

Clique aqui para conhecer a estrutura do curso. 

 

Reconhecido pela Portaria Nº 24, de 12/03/2012 – DOU 16/03/2012

aluna com camisa verde

Breve Histórico da IES

A semente da Faculdade Pernambucana de Saúde foi plantada em 1990, pelo Professor Fernando Figueira (in memorian), fundador e Presidente do IMIP, que desde sempre demonstrava a sua preocupação na formação do jovem médico, e observava que os estudantes que ali chegavam para fazer estágio careciam de uma formação mais ampla e humanística desde o início do curso. Desde então, foi iniciado no IMIP o processo de preparação para a escola médica, com a criação do programa de pós-graduação stricto senso da instituição e estímulo aos profissionais para realização de pós-graduação em outras instituições dentro e fora do país visando a formação dos mestres e doutores da futura Faculdade de Medicina. O sonho é concretizado em 2005, com a portaria de autorização para o curso de medicina da FPS, que inicia sua primeira turma no ano de 2006, tendo o IMIP como principal cenário de prática – o Hospital de Ensino.

Missão e Princípios

A FPS tem por missão o desafio de uma instituição de educação superior que atue de forma indissociável entre o ensino, a pesquisa e a extensão. As atividades de ensino não se restringem a preparar o indivíduo, apenas, para atender às necessidades da população, mas, fundamentalmente, objetivam formar profissionais para atuarem como agentes transformadores da sociedade, centrados em uma visão generalista. Assim, identifica os princípios da construção coletiva, flexibilidade curricular, interdisciplinaridade e problematização do saber como essenciais para a aquisição de uma aprendizagem significativa, articulada pela qualidade de ensino, pelas atividades de formação e preparação técnico-científica, que contribuirão para a autonomia intelectual e profissional. Para tanto, desenvolve seu projeto pedagógico ancorada nos princípios da metodologia ativa, através do método de Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP).
 
Os princípios que orientam as decisões e atividades da FPS são os seguintes:
I - Compromisso com as diretrizes preconizadas pelo Sistema Único de Saúde/SUS;
II - Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão;
III - Inclusão de pessoas com deficiência;
IV - Compromisso com a ética, a justiça, a transparência, a qualidade, a valorização da comunidade acadêmica, o respeito ao próximo e a responsabilidade socioambiental.

IMIP: principal campo de estágio para os estudantes da FPS

Fundado em 13 de junho de 1960, o Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira – IMIP é uma instituição do segmento Saúde que atua nas áreas de Assistência Médico-Social, Ensino, Pesquisa e Extensão, possuindo identidade de instituição privada, sem fins lucrativos, declarada como de utilidade pública pelos Governos da União, do Estado de Pernambuco e Município do Recife.
O sólido e completo envolvimento com o sistema público de saúde, ao qual destina a totalidade das suas atividades assistenciais e capacidade física instalada à ampla e intensa colaboração prestada às Universidades e órgãos oficiais de saúde, educação e tecnologia na formação e qualificação de recursos humanos para a saúde, assim como a tradicional preferência pela assistência aos mais carentes socialmente, define, de forma justa e inquestionável, a singular condição do IMIP de entidade pública não estatal, conferindo-lhe ainda a identidade de maior Hospital Filantrópico do Brasil 100 % SUS.
Voltado assistencialmente para o atendimento integral, o IMIP é reconhecido como uma das mais importantes instituições do País, incorporando serviços desde o nível de atenção primária, por meio do Programa de Extensão Comunitária (cobertura médica de 70.000 de baixa renda) e o Programa de Saúde Indígena (cobertura médica de 76.000 índios), até o nível hospitalar de alta complexidade, onde é referência regional para os estados do Norte-Nordeste em todas as especialidades médicas para criança, adolescente, mulher e adulto.

Concepção do curso

Apresentações do Curso
O curso de medicina da FPS é desenvolvido de forma presencial com 8710 horas e 6 anos de integralização mínima e máxima de 9 anos. As atividades teóricas e de laboratórios de habilidades acontecem no campus da Faculdade e as atividades em cenários de prática são desenvolvidas na Rede do SUS, tendo o IMIP como Hospital de ensino conveniado.
 
Perfil Epidemiológico de Pernambuco
O acompanhamento do perfil epidemiológico do estado subsidia o planejamento de ações para a organização dos serviços de saúde de acordo com as necessidades da população.  Considerando o perfil epidemiológico, o estado de Pernambuco define 10 linhas prioritárias de cuidados: 1. Cardiologia, uma vez que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morbimortalidade no Estado; 2.Oncologia, segunda maior causa de morbimortalidade no Estado; 3. Urgência/emergência com ênfase em trauma: as causas externas configuram-se na terceira maior causa de morbimortalidade estadual; 4. Materno-infantil: pela necessidade de redução da mortalidade materna e infantil precoce; 5. Nefrologia: pelo aumento crescente de portadores de doença renal crônica no Estado; 6.Saúde Mental: pela necessidade de estruturação da rede substitutiva de forma articulada de modo a promover a atenção integrada; 7.Saúde Bucal: pela baixa cobertura desta assistência no Estado; 8.Oftalmologia: pela necessidade de se organizar uma linha de cuidado integrando as ações municipais da atenção primária e média complexidade às referências de maior complexidade assumidas pela gestão estadual; 9. Neurologia/Neurocirurgia; 10.Vigilância à saúde.
 
Princípios Norteadores do Projeto
O compromisso da FPS em formar médicos leva em conta a visão da medicina praticada no IMIP, que foi conformando através dos anos dentro de uma compreensão holística, do processo saúde-doença; entendido como um conjunto de interações sistêmicas, de fatores do mundo físico, biológico, social.
 
Em síntese, o curso de medicina da FPS deve-se orientar por:

  • Adoção de um ensino de qualidade com comprometimento social, baseado em conhecimentos científicos e tecnológicos que a diferenciem no âmbito de sua atuação;
  • Formação de estudantes com competência para diagnosticar problemas e gerar soluções contextualizadas com a realidade profissional da sociedade;
  • Construção de uma proposta pedagógica inovadora que contemple as peculiaridades do cidadão-trabalhador já inserido no mercado de trabalho;
  • Promoção à interação docente-estudante, compartilhando a experiência profissional dos estudantes, especialmente quanto aos exemplos reais por eles vivenciadas.

Objetivos

Objetivo Geral
Graduar médicos com formação geral, capazes de resolver os principais problemas de saúde da população com visão ética, humanística e compromisso social, mediante a articulação de conhecimentos, habilidades e atitudes requeridos para o exercício profissional nas áreas de Atenção, Gestão e Educação em Saúde.
 
Objetivos Específicos
Formar médicos para na área de atenção à saúde ser capaz de promover e garantir:
 
I - acesso universal e equidade como direito à cidadania, sem privilégios nem preconceitos de qualquer espécie, tratando as desigualdades com equidade e atendendo as necessidades pessoais específicas, segundo as prioridades definidas pela vulnerabilidade e pelo risco à saúde e à vida, observado o que determina o Sistema Único de Saúde (SUS);
II - integralidade e humanização do cuidado por meio de prática médica contínua e integrada com as demais ações e instâncias de saúde, de modo a construir projetos terapêuticos compartilhados, estimulando o autocuidado e a autonomia das pessoas, famílias, grupos e comunidades e reconhecendo os usuários como protagonistas ativos de sua própria saúde;
III - qualidade na atenção à saúde, pautando seu pensamento crítico, que conduz o seu fazer, nas melhores evidências científicas, na escuta ativa e singular de cada pessoa, família, grupos e comunidades e nas políticas públicas, programas, ações estratégicas e diretrizes vigentes;
IV - segurança na realização de processos e procedimentos, referenciados nos mais altos padrões da prática médica, de modo a evitar riscos, efeitos adversos e danos aos usuários, a si mesmo e aos profissionais do sistema de saúde, com base em reconhecimento clínico-epidemiológico, nos riscos e vulnerabilidades das pessoas e grupos sociais;
V - preservação da biodiversidade com sustentabilidade, de modo que, no desenvolvimento da prática médica, sejam respeitadas as relações entre ser humano, ambiente, sociedade e tecnologias, e contribua para a incorporação de novos cuidados, hábitos e práticas de saúde;
VI - ética profissional fundamentada nos princípios da Ética e da Bioética, levando em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico;
VII - comunicação, por meio de linguagem verbal e não verbal, com usuários, familiares, comunidades e membros das equipes profissionais, com empatia, sensibilidade e interesse, preservando a confidencialidade, a compreensão, a autonomia e a segurança da pessoa sob cuidado;
VIII - promoção da saúde, como estratégia de produção de saúde, articulada às demais políticas e tecnologias desenvolvidas no sistema de saúde brasileiro, contribuindo para construção de ações que possibilitem responder às necessidades sociais em saúde;
IX - cuidado centrado na pessoa sob cuidado, na família e na comunidade, no qual prevaleça o trabalho interprofissional, em equipe, com o desenvolvimento de relação horizontal, compartilhada, respeitando-se as necessidades e desejos da pessoa sob cuidado, família e comunidade, a compreensão destes sobre o adoecer, a identificação de objetivos e responsabilidades comuns entre profissionais de saúde e usuários no cuidado;
X - promoção da equidade no cuidado adequado e eficiente das pessoas com deficiência, compreendendo os diferentes modos de adoecer, nas suas especificidades.

Perfil do Egresso

O curso de graduação em Medicina da FPS tem como perfil do formando egresso/profissional o médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, nos âmbitos individual e coletivo, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania e dignidade humana, como promotor da saúde integral do ser humano, tendo como transversalidade em sua prática, sempre a determinação social do processo de saúde e doença.

Formas de Ingresso

O Processo Seletivo de Admissão de Estudantes é realizado semestralmente e tem seus procedimentos definidos, periodicamente, pelo Colegiado de Gestão Acadêmica e Administrativa (CGAA).
O Processo Seletivo é aberto a todos aqueles que tenham concluído o Ensino Médio ou equivalente e destinam-se à avaliação da formação básica legal e à classificação dos candidatos, dentro do limite das vagas oferecidas.
As normas para inscrição, no Processo Seletivo de Admissão, são estabelecidas em Edital, do qual constam a quantidade de vagas, prazos de inscrição, documentação exigida, critérios de seleção, classificação, desempate e demais informações necessárias.
Na hipótese de restarem vagas não preenchidas, é aceita a transferência, para prosseguimento de estudos, de estudante oriundo de curso de medicina de outra instituição de educação superior nacional ou estrangeira, na estrita conformidade das vagas existentes, mediante processo seletivo específico.
Além do vestibular, os estudantes podem ingressar via Transferência, FIES, Prouni ou FormaSUS.
Os editais das seleções de vestibular e transferência ficam disponíveis no site da instituição durante os processos. As inscrições e informações do FIES, Prouni e FormaSUS ficam acessíveis nos sites de cada programa. 

Módulos de Nivelamento

Curso de Linguagem, Escrita e Produção Acadêmica
Curso de Inglês

 

Integralização da carga horária total do curso

Currículo   |     Horas

Atividades téoricas e práticas - 4345h
Atividades complementares - 210h
Trabalho de Conclusão de Curso - 315h
Estágio Curricular Supervisionado - 3840h

Total: 8710h
 

Distribuição da Carga horária de Estágio Curricular supervisionado

32% da carga horária total do estágio curricular supervisionado são desenvolvidas em cenários de urgência e emergência e em Medicina de família e comunidade, predominando esse último (atendendo  prazos e orientações da Resolução Nº 3 CNE/CES de 20 de junho de 2014).

Distribuição da carga horária de Estágio Curricular Supervisionado

Estágio curricular Supervisionado - 3840h - 100%
Atenção primária/urgência-emergência - 1216h - 32%

Distribuição da carga horária de Atenção Primária e Urgência e Emergência

Medicina de família e comunidade - 640h - 53%
Urgência e Emergência - 576h - 47%
Total: 1216h - 100%

Módulo Optativo: LIBRAS

Módulo Optativo: LIBRAS

Período: 1º ao 12º
Carga horária: 40 horas
Ementa: Aquisição básica da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e desenvolvimento de conhecimentos referentes à pessoa surda e seu contexto linguístico cultural com foco na assistência à saúde. 

Drª Taciana Duque

Coordenador do curso